Tuesday, October 12, 2010

Blogueira Convidada

A blogueira convidada dessa semana é, na verdade, outro blogueiro (ebaaaa a blogosfera materna sendo inundada de testosterona).

O blogueiro em questão é meu querido cunhado Antonio Prata. O Antonio - considerado o melhor escritor da nossa geração (não apenas pela própria família obviamente) - escreve o blog Crônicas e outras Milongas.

A crônica abaixo faz parte do livro que o Antonio está escrevendo sobre suas memórias de infância. Segundo o próprio autor "... é um livro de memórias/ficção, de coisas que lembro, acho que lembro ou inventei que lembro, entre meus 2 e 10 anos de idade".

O livro deve ser lançado no ano que vem. Fiquem de olho!!!

"Pra que serve a Cueca? by Antonio Prata

Como todo natal, estou na casa da minha avó, mãe da minha mãe, que fica a poucos quarteirões da nossa. Da outra sala vêm as vozes e risadas dos adultos, que continuam sentados à mesa, bebendo. Estou sentado no chão da sala de estar e, curioso, analiso uma das cuecas que ganhei de presente. Há nela uma incongruência a incomodar-me o pensamento: uma etiqueta. Até aquele momento, tinha cá para mim que a única função das cuecas era proteger as costas do pinicar torturante das etiquetas das calças. Se me dessem um cavalo com etiqueta, numa boa, um carro, um caqui, tudo com etiqueta, ok, menos a cueca. É como uma toalha que viesse molhada ou uma Novalgina que causasse febre.

Vou até a mesa de jantar, consigo uma brecha entre meu tio e minha mãe e, depois de cutucá-la algumas vezes, chamando sua atenção, estendo-lhe a fonte de minha angústia, sem dizer nada -- afinal, a etiqueta falaria por si. Ela, contudo, não entende.
-- A etiqueta, mãe!
-- Tô vendo a etiqueta, o que que tem?
-- Ué, a cueca não é pra etiqueta não pinicar?
 Enquanto todos os adultos estouram numa gargalhada, ela faz um carinho em minha cabeça. Esquivo-me de suas mãos e lanço a próxima pergunta, interrompendo as risadas:
-- Mas se não é pra proteger da etiqueta, pra que que serve a cueca?

Depois de um silêncio que parece-me longuíssimo, todos começam a palpitar ao mesmo tempo.
-- Serve pra não prender o pinto no zíper -- diz a tia Corália.
-- É pra proteger -- fala o tio Alfredo .
-- É pra deixar tudo juntinho e não ficar balançando de um lado pro outro -- sugere o tio Ernesto.

Não posso aceitar aquelas respostas, tanto por serem ruins como por serem muitas. Cada coisa tem uma razão e eles não souberam dar-me a da cueca. Prender no zíper? Mas e quando usamos moletom ou short? Proteger o pinto? Do que? De quem? E se por acaso algo o estiver atacando, não será aquela fina camada de algodão que o salvará. Deixar tudo juntinho? Mas se o legal é que aquilo balança, ué?!

Saio da sala, vou até a escrivaninha da minha avó, pego uma tesoura de unha e me escondo num canto, debaixo da escada. Uma a uma, corto as etiquetas. Aqueles pedacinhos de pano não me pinicarão mais a bunda. Um vago incômodo, contudo, passa a pinicar-me vez ou outra, ao longo da noite. Não sei o que é, mas desconfio que não pode ser sanado com uma tesoura."

8 comments:

Fernanda said...

Hahahah. Otimo! Como meu marido eh etiqueta-fobico entendo o grande problema. Alias, ele ensinou o Andre a nao dormir de cueca (o que eu nao entendo), mas enfim, resolvi deixar mais essa para os misterios do mundo do Y. :)

Adorei a participacao VIP do blog, Pa!

Antonio, acho as suas cronicas imperdiveis.

Anonymous said...

Acho extraordinária a "dinâmica" dos brasileiros, inventam coisas do quase nada, fazem-se nação aos tropeções, conquistam à primeira vista o coração. Daqui mando também um "cheirinho a alecrim", mesmo sabendo que continuam a ser orfãos de pai, e amam muito as suas mães. Como português, acho ainda que o Brasil é uma imaginação do paraíso perdido, não no sentido colonial do pensamento, mas na semântica da coisa que torna real a verdade de todos os dias.

Paloma, a mãe said...

Eeee, Paula, não sabia que o Antonio era seu cunhado, que legal!
Conheço o Antonio, temos uma turma de amigos em comum.

Ei, Antonio, esta crônica me lembrou suas memórias na Escola Viva e aquele livro lindo que vc escreveu. E a história do chefe dos bebês... enfim, tenho certeza o novo livro será maravilhoso, mal posso esperar para ler.
Beijos

Mariana Della Barba said...

Uia, que surpresa boa!
Genial - como tudo que o Antonio escreve.
bjos e mal posso esperar pelo próximo blogueiro convidado. hahaha!

Luciana said...

Oi Antônio. MUITO bom esse post!

E se sua pulga atrás da orelha é pra que serve a cueca, eu me pergunto pra que serve a etiqueta em QUALQUER que seja a roupa... Pior ainda, aquelas costuradas com fio de nylon... Fim da picada!

E obrigada Paula, por me apresentar as crônicas do Antônio, que eu não conhecia.

Beijos,

Lu

Anna Gameleira said...

adoreiii!!! Meu filho mais velho odeia etiquetas!!!!!!!!!!
bjos

Mamãe Nádia said...

Oi, eu sou administradora do blog "Recanto das mamães blogueiras" e indiquei você na nossa lista de melhores posts da semana. Clica aí no link pra conferir o post que mais gostamos: http://recantodasmamaesblogueiras.blogspot.com/2010/10/top-five-os-melhores-posts-da-semana.html
Espero que você goste do nosso blog e passe por lá! O meu blog é www.mamaenadia.blogspot.com
Beijos!

Mãe Mochileira,filho malinha.. said...

Oi!! ah,adoro essa invasão masculina no mundo dos blogs..quem sabe assim fica mais facil a gente entender a cabeça dessas criaturas complicadas???kkkkkkkkk..so sei de uma coisa..com certeza os homens levam a vida de uma forma mais leve que a gente! ;-)
rsrs..Bjs,otima quinta!

Related Posts with Thumbnails