Friday, September 18, 2009

Crianças Bilíngues


Mais um excelente tema para discussão apresentado pelo blog Motherlode do New York Times: criando filhos bilíngues (ou trilíngues, como no meu caso).

Aqui em NY, a maioria dos casais que conhecemos vão criar os seus filhos como bilíngues ou trilíngues. Dizem que a melhor forma de se aprender um idioma é desde o nascimento e que, na maioria das vezes, as crianças que crescem com mais de um idioma levam mais tempo para falar.

Baseado na minha experiência pessoal, eu ainda não tenho como afirmar isso. A minha filha só tem 1 ano e meio e ainda está muito novinha para ser avaliada.

A Nina está exposta diariamente, dentro de casa, a 3 idiomas. Eu só falo com ela em português. Meu marido só fala com ela em alemão (meu marido é austríaco). Nós dois nos comunicamos um com o outro em inglês. Sem contar os playdates que ocorrem, no mínimo 1 vez por semana, com minhas amigas argentinas onde o idioma predominate é o espanhol. Está armada a salada de frutas.

De qualquer maneira, conheci várias pessoas da minha idade que foram criadas com mais de 1 idioma dentro de casa. O começo parece ser mais difícil - especialmente quando a criança começa a ir para a escola, a desenvolver o inglês e a perceber que você também entende esse idioma e que é muito mais fácil falar na língua que todo mundo fala do que na língua esquisita da mãe ou do pai.

O segredo é ser consistente, pois no futuro o seu filho irá te agradecer.

10 comments:

Lia said...

Tem toda razão, Paula. Conheci uma moça alemã, filha de italianos, que não falava quase nada do idioma dos pais. Ela disse que, na época, eles optaram por falar com ela em alemão para não confundi-la, sei lá. Ela lamentava demais essa perda.

Maria said...

sou super a favor..meus filhos já falam ingles e espanhol...com o avo italiano...o mundo esta cada vez mais international...criamos nossos filhos para o mundo, nao é?

Paloma, a mãe said...

Mesmo quando ela tentar falar com vc em inglês, repita o que ela disse em português: "Você quer comer maçã?". E responda em português, também: "Claro, Nina, aqui está a maçã". Assim, o cérebro dela vai guardando e, quando ela vier ao Brasil e sentir necessidade de falar português para ser compreendida, vai soltar a língua.
Beijos.

Luciana Onofre said...

olá. adicionamos seu blog ao nosso diretório "mamys blogs"

Andre e Tomas said...

*perdoem minha gramatica, meu keyboard nao eh bilingue!

OI, Paula. Fiquei conhecendo o seu blog atraves da Patsi e virei super fa...

Eu tambem concordo com os comentarios acima e com o artigo do Motherlode: escolher um idoma da casa e o idioma do "mundo". Meu filho de 4 anos demorou a falar em comparacao com outras criancas nao bilingues (mesmo sendo menino, em compracao com meninas), mas nem tanto e ainda fala muito misturado, apesar de saber a diferenca entre ingles e portugues e quem fala uma ou outra lingua. A estrutura do portugues dele eh muita vezes invertida (como em ingles) e ele tem sotaque de "gringo", apesar de corrigir o meu ingles toda hora.
A minha preocupacao eh mais com o aprendizado formal da lingua. Percebo agora que na escola ele estah aprendendo a soletrar as palavras e eu estava soletrando em portugues e isso estava dando um noh na cabeca dele. Seguindo o conselho de uma babysitter dele (agora pos graduanda em ESL), eu estou focando no ingles quando "letras" estao envolvidas para ajuda-lo na alfabetizacao e mais tarde, vou fazer o esforco de ensina-lo a escrever em portugues.

Beijos, Fernanda

Adriana Stock said...

Eu estava bem preocupada com essa questão da língua. Nós só falamos português em casa. A Paola está com 21 meses e, no ano que vem, deve começar escolinha. Como ela vai se comunicar com as outras crianças? Bom, ela vê os desenhos em inglês e, na rua, me escuta conversando em inglês. Acho que, aos poucos, ela vai pegando, né? Também vamos fazer uma aulinha onde ela vai entrar em contato com crianças que falam inglês. Espero que eu esteja fazendo a coisa certa...

Nina Fiuza said...

Eu adoro esse assunto. Pela minha experiência e tudo o que já estudei e li sobre o assunto, percebi que é possível aprender quantas línguas for, desde que elas estejam bem separadas para a criança. O que eu quero dizer é que a mãe não pode falar em português com o filho e depois em inglês porque a criança vai ficar confusa: isso é ball ou bola? Os territórios de cada idioma deve estar bem marcado para criança não se confundir. O que vc faz é ideal. Muita gente que mora fora faz assim: dentro de casa só fala um idioma e fora de casa fala o outro. =)

Adriana Stock said...

Mas a minha dúvida é: no parquinho, quando outras crianças estão em volta, falo em inglês com ela?

Paula Duailibi Homor said...

Adriana: eu so falo em portugues com a Nina. Mesmo no parquinho ou em playdates ou em aulinhas. Sempre portugues!

Patrícia said...

Há tantas confusões sobre a aprendizagem de um segundo ou terceiro idioma na infância...
Os pais ficam meio perdidos...
Quero deixar a dica de um blog com várias informações interessantes.
É o www.ensinobilingue.com.br
Abraços

Related Posts with Thumbnails