Tuesday, June 29, 2010

Blogueira Convidada

A blogueira convidada dessa semana é a Marina Fiuza.

A Nina (LINDO apelido da Marina) escreve um dos blogs mais maravilhosos da blogosfera maternal "Mãe Solteira Recém-Casada". Eu dou a maior forca para ela escrever um livro publicando seus incríveis e sensíveis posts.

As lágrimas rolam na maioria deles. Tudo lindo, autêntico e escrito sob o prisma de uma poeta nata. Parabéns Nina.


Life with Kids by Nina Fiuza

Por ser solteira e carregar apenas vinte e um anos na bagagem, sentia uma enorme obrigação de ser jovem e de agir como tal. Lembro da primeira vez que troquei meus macacões confortáveis da gravidez por uma mini saia. Apesar de feliz por ter recuperado a forma e meu antigo guarda roupa, estranhava-me frente ao espelho. Sentia-me travestida, com fantasia de uma pessoa que eu já não mais conhecia.
Na noite, achava ofensiva a abordagem dos homens. Não se fala com tanta malícia com senhoras mães. E se alguém queria me conhecer melhor eu logo contava, toda materna, do bebê lindo que me esperava em casa. Apesar de me avisarem que tal informação assustaria meus pretendentes, achava impossível falar de mim sem contar aquilo que me era essencial.
Era preciso fazer um esforço enorme para ser aquela que minhas amigas conheciam. Cansava-me tanta atuação. O barulho era irritante, os pés doíam, a bebida era intragável. Quando a melhor música começava, tinha vontade de chorar. Era péssimo levantar do único banquinho encontrado para ter que dançar.
Logo percebi que a vida com crianças jamais seria a mesma de antes. Porque quando um filho nasce ganhamos um novo par de olhos e passamos a enxergar tudo diferentemente. E foi somente quando eu deixei a maternidade assumir o controle da minha vida que me vi feliz de verdade. Grande ironia foi cativar um homem entre mamadeiras e fraldas. E só acreditei quando ele disse que me amava porque sabia que ele me via por completo, com uma criança no colo.

10 comments:

Paloma, a mãe said...

Depois de ficar 45 dias longe do marido, cuidando sozinha da pequena, passei a admirar ainda mais as mães solteiras. Toda a minha solidariedade a elas. E que bom que ela se mostrou inteira, do jeito que é, e arrumou um cara à altura. Felicidades!
Beijos

Rafaela said...

eu amo o blog dela, Pa! ela escreve muito!
Parabens Marina!

Laura said...

Milhões de Parabéns !?!?!?!
eu admiro absurdamente as mães solteiras: são corajosas e aldaciosas...
Além do mais, concordo em genero, numero e grau que depois dos filhos, nós adquirimos novos olhos...

beijão

Marina Fiuza said...

Ah Paulinha, já sabia que ia me emocionar com sua introdução. Tenha certeza de que quando este livro sair, uma cópia vai direto para NY. Obrigada pelo incentivo, pelo carinho e atenção. Obrigada também pela espaço aqui neste seu blog que eu também adoro e sou fã!

Lia said...

A Nina é demais mesmo. Lindo.

Fernanda said...

Lindo texto! Transparente e tocante. Bravo Nina!

Beijos

Cecília Diniz said...

Nina é, sem dúvida, uma poeta nata! E merece ir cada vez mais longe! Sua história de vida também é emocionante e cativante! e eu a admiro muito, por tudo! Pela mãe, mulher, menina, amiga, maluca... Parabéns, Marina! Todo o sucesso e felicidade pra você e sua família!

Paty said...

Lindo Nina!!!! Adorei! bjs

Livia, mãe da Carol said...

Que lindo testemunho! Tenho grande admiração pelas mulheres que assumem a maternidade sem um pai ao lado. Só quem é mãe sabe as dificuldades do dia-a-dia ou mesmo as hs que nós só queremos um colo, uma palavra de incentivo relacionada a algum fato que envolve o filho. Parabéns Nina! Vc deve ser uma grande pessoa.

Patricia said...

Sou fã da Nina! E também do seu blog! Só me falta coragem para carregar a pequena e todas as tralhas para a Big Aple..rs

Related Posts with Thumbnails