Monday, January 3, 2011

Barriga de Aluguel

Esse é um assunto altamente divulgado e comentado aqui nos EUA. Celebridades como Sarah Jessica Parker tiveram seus filhos por meio de uma "surrogate" ou como chamamos "barriga de aluguel".

No Brasil, até onde sei, essa prática não é propriamente regulamentada (nem na Europa) fazendo com que vários casais do mundo todo venham para os EUA realizar seus sonhos de serem pais.

Algumas pessoas podem perguntar: "Por que esses casais não adotam?"

Eu mesma não sabia das complicações e nuances que envolvem o campo de adoção. Além do custo altíssimo (aqui nos Estados Unidos dizem estar acima de US$20,000 só de taxas, advogados, etc), as mulheres brancas acima dos 40 anos encontram-se com muitas poucas opções nesta área. As mães dos bebês colocados para adoção preferem mães mais jovens e aquelas de outra etnia (negras ou asiáticas) também parecem optar por casais do mesmo grupo étnico ou multi-racial. Além do mais, as adoções internacionais são repletas de burocracias, muitas agencias fecham no meio do processo e nem todos os casais conseguem preencher os requisitos para adoções internacional que varia de país para país.

Veja o caso da Sandra Bullock. Ela que é ela teve que ficar 4 anos na fila da adoção.

Por isso, as barrigas-de-aluguel e doadoras de óvulos são as duas práticas mais comentadas no campo da fertilidade nos dias de hoje.

Muitas mulheres, principalmente aquelas acima dos 40 anos, podem carregar uma gravidez sem maiores problemas, mas possuem uma baixa qualidade em seus óvulos. Estas podem escolher uma doadora de óvulos, prática também bastante desenvolvida e regulamentada aqui nos Estados Unidos.

Já outras mulheres possuem bons óvulos, mas por alguma razão fisiológica não podem carregar uma gestação. Estas são as candidatas a contratar uma barriga de aluguel que pode ser paga (bem caro) ou ser de graça (mais difícil encontrar).

Assunto super controverso, com inúmeros pontos a serem considerados e que, realmente ,só pode ser avaliado pela pessoa que estiver vivendo isso.

A regulamentação para barriga de aluguel varia de Estado para Estado e existem diversas agências especializadas no assunto.

Essa semana, saiu um artigo interessantíssimo no New York Times sobre uma mulher que teve dois filhos gerados por duas barrigas de aluguel ao mesmo tempo (irmãos que não são gêmeos, mas têm a mesma idade) com os óvulos de uma terceira.

O blog Motherload do mesmo jornal também comenta o assunto.

Bom tópico para inspirar discussão e esperança naquelas que acreditam ser impossível realizar o sonho de serem mães.

Na foto Melanie com seus "twiblings" nascidos com 5 dias de diferença um do outro.

foto NY Times

7 comments:

Carol P said...

Tema polemico, decisao complicada e super pessoal, realmente nao dah para criticar ninguem.
Nos temos varias opcoes hj em dia, mas ainda ficaria com a adocao.

Fernanda said...

Achei super interessante este artigo, Pa. Acho que se tudo eh feito `as claras, por que nao?

Priscilla said...

Interessante mesmo a discussão, porque entram tópicos como preconceito, diferenças culturais (sempre elas!) e de classes sociais. Acho que não é só uma questão de ser ou não ser mãe. Muito bom para pensar, Paula!

Paty said...

Adorei o post, Paula. Acho que cada um deve buscar o seu sonho da maneira que se sente mais confortavel. E sei de muita gente que nao se sente confortavel em adotar e temos que respeitar.... Ate onde sei, no Brasil a barriga de aluguel e proibida, mas um parente seu pode carregar seu filho, ou algo assim... anyway, thanks for the post!

Lali said...

Interessante observar como funciona a adoção em cada país. Acho bacana o esqueme da mãe biológica escolher os pais adotivos p/ seu filho. Pelo que sei, aqui no Brasil a mãe não participa e nem fica sabendo quem serão os pais. A escolha é feita pelos assistentes sociais, seguindo uma fila, o que acaba sendo mais justo com os interessados, porém pode ser mais angustiante para quem decider dar um filho para adoção.
Penso que se ocorresse desta forma no Brasil, mais mulheres optariam por isso, ao invés de deixar o filho mal cuidado, ou preso a uma instituição, esperando por uma mãe que não o libera p/ ser adotado, mas acaba nunca tendo condições de retirá-lo do abrigo. Em alguns casos, qdo ela abre mão, a criança não tem mais idade de ser adotada...

silviaemarciaemny said...

Humm, eu acho q tem uma questão cultural nessa decisão, eu como Brasileira e sabendo da qtde de crianças abandonadas precisando de um lar no meu país, adotaria! mas entendo quem quer barriga de aluguel aqui... Sabe q meu filho Gabriel tem uma amiguinha chamada Maia, filha de um casal homossexual, via surrogate. Coisa mais linda e simpática essa família! Pior (ou melhor) que a mae biológica convive c eles numa boa, e já fez mais de 10 filhos, além da dela mesmo...
coisas da vida moderna!
bjs mil. Silvia.

Mariana said...

NY é uma cidade bela, mas não a recomendo para ir com crianças.
Se tem a oportunidade de viajar para a Argentina, podem ir a uma hospedagem Buenos Aires .

Related Posts with Thumbnails